Nas Olimpíadas da Gestão Empresarial, você teria os requisitos para ser um campeão?

Tempo de leitura: 5 minutos

O esporte vem sendo utilizado como meio de inspiração para diversas profissões e profissionais, por trabalhar valores como a disciplina, motivação e a persistência. Não é à toa que muitas pessoas do meio, como atletas, ex-jogadores e treinadores estejam envolvidos como conselheiros, analistas e coaches de grandes corporações, afinal, a visão de alguém que sabe traçar objetivos e se manter em treinamento para alcançá-los, é uma qualidade muito valiosa no meio empresarial.

Como celebração do esporte, foram criados os Jogos Olímpicos, e temos vivido essa competição de geração a geração. De acordo com a mitologia grega, o herói Hércules criou as Olimpíadas por volta de 2.500 a.C, no entanto, os registros históricos apontam 776 a.C como o início desse tipo de competição. O fato é que, desde que os jogos se tornaram uma prática entre nós, nascia também uma nova forma de perceber desafios e se preparar para eles.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, que estão acontecendo este ano, entrarão na história de uma forma diferente. Primeiro, por marcar um período tão difícil para a humanidade, com a pandemia de Covid-19 que atingiu milhões de pessoas ao redor do mundo. E também por apresentar tantos e tantas atletas dedicados, que mesmo com o isolamento social, se mantiveram em alta performance para dar o melhor de si nas competições. Por isso, neste texto, vamos ressaltar aquilo de melhor que podemos aprender com cada medalhista brasileiro, trabalhando a sua qualidade no contexto empresarial. 

Será que nas Olimpíadas da Gestão Empresarial, você seria um(a) campeão?👀

1. Coragem para realizar

O potiguar Ítalo Ferreira, medalhista de ouro no Surf Masculino sabe bem o que é sentir a pressão do favoritismo e ainda assim, ter a coragem de tirar o sonho do papel.

Em toda a sua trajetória nos jogos olímpicos, ele, assim como Gabriel Medina, eram favoritos para as medalhas, mas Medina foi eliminado antes das finais.

No mercado empresarial, também é importante que gestores e colaboradores saibam que não importa se a sua empresa é a líder do mercado, é preciso que ela consiga os melhores resultados do mercado. Também é necessário ter em mente que o marketing é importante, mas ele sozinho não irá tirar todas as suas metas do papel.

2. Respeite sua trajetória e mantenha o foco 

Rebeca Andrade mostrou ao mundo inteiro que é preciso ter orgulho da sua trajetória, pois é ali que reside a sua força. A atleta foi medalhista duas vezes, uma de medalha de ouro e outra de prata, um feito histórico para a Ginástica brasileira.

Rebeca disse em diversas entrevistas que sua grande inspiração é a ex-ginasta Daiane dos Santos, e que a conquista de suas medalhas é coletiva. Rebeca é a primeira mulher brasileira a vencer duas provas nos jogos olímpicos.

No contexto empresarial, também é preciso encontrar o equilíbrio naquilo que desejamos para nosso futuro e o compromisso com nossas bases e valores que construíram a nossa trajetória. Para além de estratégias de branding, que visam posicionar de forma positiva a sua marca, é preciso conhecer de verdade seus colaboradores, suas histórias, para conseguir traçar estratégias que realmente atuem na cultura da empresa, fazendo com que todos tenham consciência do seu papel e do foco que é necessário seguir.

3. Não tenha medo das quedas

Rayssa Leal já havia conquistado o Brasil antes de disputar as finais do Skate Street nas Olimpíadas de Tóquio. Com apenas 13 anos, mostrou ao mundo que, mais do que ganhar, é importante saber se levantar e também se divertir com o processo.

Ao longo da competição, Rayssa errou algumas manobras, mas soube administrar a emoção e garantir outras com técnica perfeita, apoiando suas companheiras e se divertindo a cada movimento na pista.

Assim como a atleta chamou atenção por apresentar um comportamento tranquilo e alegre diante de toda a competição, é preciso que, no ambiente profissional, tenhamos a coragem de desenvolver novos projetos, propor e enfrentar desafios sem ter medo de que algo possa dar errado. Afinal, os erros também fazem parte de um processo maior de aprendizado, que é necessário para que os bons resultados sejam alcançados.

4. Acredite até o fim

Medalhista de bronze, o nadador Fernando Scheffer não era um dos favoritos para a prova de 200m livre nas Olimpíadas de Tóquio,mas conseguiu surpreender a todos e colocar a medalha de bronze no peito.

A medalha de Fernando traz uma importante lição para momentos em que acreditamos não haver mais pelo que lutar, ou saídas que possam ser vantajosas.

No contexto empresarial, seja gerindo uma equipe ou na busca dos seus próprios resultados, a motivação é um fator essencial. Afinal, mesmo com os melhores recursos técnicos e ferramentas de última geração, é preciso que você se coloque nesse processo com o melhor de si. Isso não significa romantizar o cansaço e as dificuldades do caminho, mas compreender que, assim como no esporte, nada está decidido de antemão, é preciso tentar até o fim.

5. Valorize quem luta ao seu lado

As atletas de tênis Luisa Stefani e Laura Pigossi conquistaram medalha de bronze nas olimpíadas em um esporte em que a parceria é ponto crucial.

A dupla não era favorita às medalhas, e entrou na competição a partir da desistência de outras competidoras, e fizeram partidas brilhantes.

Sendo um esporte de cooperação, Luisa e Laura precisaram estar afinadas na estratégia e técnica, para que a vitória fosse possível.

É de conhecimento de todos que um time engajado é capaz de resultados muito mais expressivos do que os colaboradores isolados. No entanto, encontrar esse ajuste é uma tarefa complexa, que requer tempo e investimento. É preciso que os gestores e líderes estejam conscientes do seu papel integrador, e forneçam condições e ferramentas para que o time mostre seu melhor. 

Agora que você conferiu as principais qualidades dos medalhistas olímpicos brasileiros, que tal exercitá-las em você e na sua equipe? Sem dúvidas, o esporte pode ser um bom exemplo de como aliar disciplina, equilíbrio, trabalho em equipe e as forças de cada um para um único objetivo.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.