Sua empresa está preparada para a LGPD?

Sua empresa está preparada para a LGPD?

Tempo de leitura: 3 minutos

O avanço da tecnologia e a crescente disponibilidade de informações na rede preocupam especialistas e empresas de variados setores. Afinal, como proteger os dados pessoais dos clientes e evitar sua exposição?

Para regular o uso destes dados, criou-se no Brasil a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), inspirada em uma regulamentação europeia. Diante disso, as empresas devem se adequar aos novos aspectos legais a fim de evitar multas e sanções pela ANPD (Autoridade Nacional de Proteção dos Dados), órgão fiscalizador e regulamentador da nova lei.

A realidade, porém, é que 85% das empresas não estão prontas para estas mudanças, segundo uma pesquisa do Serasa Experian. A pergunta é: sua empresa está preparada para a LGPD? A seguir, saiba mais sobre a Lei e entenda como se preparar para ela.

A LGPD?

Sancionada em 2018 e em vigor desde agosto, a Lei 13.709, conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), é a primeira legislação federal que trata exclusivamente do tema. Os principais objetivos são garantir transparência no uso das informações fornecidas pelos clientes e maior privacidade e controle aos dados de pessoas físicas e jurídicas.

Para isso, a LGPD institui regras claras sobre como as empresas devem coletar, tratar, armazenar, utilizar e compartilhar estes dados. Desse modo, os usuários se sentem mais seguros para confiarem suas informações, enquanto as empresas ganham mais responsabilidade frente aos dados armazenados.

Mas, afinal, como as empresas devem se preparar para a LGPD? Veja abaixo quatro pontos que devem ser observados neste momento:

Mapeamento

Um dos passos mais importantes para se adequar à LGPD é construir um mapa visual de todos os dados pessoais que a empresa coleta e armazena. Assim, é possível visualizar as informações com as quais se trabalha e como elas estão sendo compartilhadas na rede interna ou externa.

Para agilizar o processo e garantir a segurança dos dados, você pode contratar um software de gestão de empresas, o qual facilita o mapeamento e garante a privacidade das informações.

Interdisciplinaridade

Criar um grupo interdisciplinar é uma maneira de facilitar o entendimento das mudanças e dos aspectos legais da LGPD. Por isso, é interessante reunir colaboradores de diversos setores: jurídico, segurança da informação, marketing, governança corporativa, relacionamento com o cliente e departamento pessoal.

A equipe terá funções como estudar a nova legislação sob várias perspectivas, mapear os processos internos da empresa e disseminar informações sobre a LGPD para outros colaboradores.

Criptografia

A criptografia é uma das tecnologias mais conhecidas no que se refere à proteção de dados, pois constrói e analisa protocolos que impedem a leitura de mensagens privadas por terceiros. Portanto, é uma grande aliada das medidas de adequação requeridas pela LGPD.

Uma das soluções da criptografia é a emissão de certificados digitais corporativos para setores que tratam dados, como administrativo e recursos humanos. O certificado digital corporativo é mais seguro, identifica o colaborador e protege-o de fraudes, sendo útil na assinatura de contratos.

Tecnologia

Embora a questão jurídica mereça especial atenção na preparação para a LGPD, é importante que a empresa não ignore outra frente muito importante: a tecnológica. Nesse sentido, deve-se buscar as mais modernas tecnologias que garantam a proteção dos dados e, consequentemente, a confiança dos usuários.

Aliás, a própria LGPD será responsável por alavancar o nível de segurança das ferramentas tecnológicas usadas na proteção de informações pessoais dos clientes.

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.